A história de Mauá contada por um antigo morador

12.07.2019

 

 

Braz Gonçalves, aos 79 anos, nascido em Paranapiacaba, distrito de Santo André, morador de Mauá desde 1955, na ocasião Mauá ainda era distrito de Santo André, ele foi convidado a jogar bola no time juvenil, no Independente Futebol Clube, e aí começa a sua história na cidade. No mesmo ano, foi eleito o primeiro prefeito da cidade, Ennio Brancalion (PTB).

 

Sr. Braz lembra que na década de 50 as ruas da cidade não tinham asfaltamento. “A maioria das ruas era de terra e não tinha asfalto na maior parte da cidade, parecia àqueles lugares do interior”, relembrou.

 

Na década de 60, após uma tragédia familiar, Braz Gonçalves conseguiu emprego na ferrovia. “Meu pai, José Braz Gonçalves, sofreu um acidente ferroviário, em São Caetano, e acabou falecendo. O pessoal da estrada de ferro acabou me contratando e comecei a trabalhar na Estação de Mauá, como conferente de armazém, em seguida fui auxiliar de estação, trabalhei na bilheteria e depois assumi a vaga do meu pai como condutor de trens”, diz com orgulho.

 

De família humilde, construíram vários comércios em nossa cidade, como imóveis, desmanche, lava - rápido, entre outros, o qual a família acreditava no crescimento de nossa cidade de Mauá.

 

Em plena atividade, aos 79 anos, sr. Braz conta a história de amigos que se tornaram grandes empresários na cidade e lembra com saudade dessa conversa entre esses amigos.

 

“O principal problema de Mauá são as invasões de terra. Estão ocorrendo muitas invasões na nossa cidade, as pessoas estão fazendo barracos em áreas pertencentes a prefeitura e ninguém impede isso, na minha opinião, por ser área do poder público, eles deveriam vender ou fazer loteamentos para a população, assim iria diminuir os casos de invasão em Mauá”, disse o Sr. Braz.

 

Braz, que é amigo e trabalha com Aguinaldo de Souza há muitos anos elogia Aguinaldo:

 

“É um grande amigo, tem uma família linda, é um empresário respeitado e que honra os compromissos, e que é uma pessoa que queremos ter em nossa cidade como político e administrador. Braz espera que seu amigo um dia, em breve, seja prefeito de nossa cidade, para que Mauá volte a crescer e ser a cidade do progresso, considerada nas décadas passadas. “Mauá já teve muita fábrica, muito emprego, isso precisa voltar a acontecer, é preciso políticos novos para administrar a nossa cidade, o velho na política não resolve mais”, concluiu.

Please reload

Últimas Notícias
Please reload